domingo, 17 de maio de 2009

Fim de noite [2]

Aqui tá tão escuro e o silêncio fala tão alto,
que eu não consigo ouvir meu peito bater vazio de nós.
Eu sinto que não é você que ocupa o lugar na minha cama.
Eu sinto uma respiração ao meu lado que não é sua.
Eu sinto um cheiro de nada, longe de ser o seu.
Eu sinto muito por - agora - só me restar abraçar a solidão...
E voltar a dormir.
Talvez eu te procure nos meus sonhos ou na manhã seguinte.


-

Resolvi tirar um texto antigo da caixa pra que ele possa respirar um pouco. (:

6 Comments:

Tobias de Melo" said...

Agora ele respira e inspira.

Lindo ontem,
Lindo hoje,
e amanhã se voltar aqui,
não mudará,
Lindo ainda será !

E.T.A

Priii said...

só pra saber, vida...
esse é antigo ou muito antigo? ¬¬

achei lindo.

Ana Luísa Guimarães said...

Muito antigo, sabe?

Carola Guimarães said...

Porque a solidão é trise, mesmo!

Nyke said...

Adoro reviver antigos escritos.
Porque quem acaba respirando mais no fim das contas, sempre sou eu.

Lindo, minha pretinha!
^^

Du :* said...

só pra saber, vida(de Duda)...

Eu te amo! (: