sábado, 14 de março de 2009

Dois.

- Hoje eu tava me perguntando se eu sou alguma coisa sem você.
Descobri que sim, sem você sou nada. E gosto disso.
- Gosta de não ser nada?
- Gosto de precisar de você pra ser alguém.
- Me beija?
- Beijo.

E eles foram além dos lábios.
Porque beijar é tocar a alma, um do outro.

8 Comments:

Vitor Hugo said...

(Y) Muito bom!

"Eles foram além dos lábios"...

Tou precisando ter um dialogo assim.

Prii ;) said...

oia pra isso, tá empolgadinha nos bjos, né?
okpakoaskosap
brincadeira, minha linda.

tô sabendo q vai ter continuação :x

Tobias de Melo'' said...

((♥_♥))

Carola Guimarães said...

Profundo e bom, muito bom. (:

Menino Poeta said...

falou em poucas palavras aquilo que tento falar em um grande poema!!!

Ana Carolina said...

Ei, Ana, há quanto tempo não venho aqui... Você está a cada dia (digo, a cada texto) melhor... Na incansável tarefa de traduzir o indizível... Parabéns!
Ana.

Michel Nunes said...

Linduxx (L)

Jonathan Mendonça said...

Ah, Manuel Bandeira... o contato de lábios transcendendo à alma. Vou pedir pra Ana Carolina ler de novo este poema...!
Parabéns. Este, verdadeiramente atingiu o belo. Muito bom ler isso.